sábado, 29 de junho de 2024

Através da arte, podemos nos questionar sobre o impacto humano, diz Gisele Faganello

       Através da arte, podemos nos questionar sobre o impacto humano, diz Gisele Faganello




A artista visual Gisele Faganello que está com as suas obras em exposição internacional no Colectivo Arte Contemporáneo na Biblioteca Civica Cambiano, Turin, |Itália até o dia de 16 de julho próximo, também particia no Brasil de 2 exposições de destaque, sendo uma na cidade do Rio de Janeiro e outra em Fortaleza no Ceará.


No rio de Janeiro integra a exposição Argus, 200 anos da imigração alemã no Brasil, com curadoria de Edson Cardoso da Ava Rio Galleria, em parceria com Rosita Cavenaghi da Art A3 Gallery de São Paulo. O nome escolhido para a exposição se deve ao navio Argus que em julho de 1823, trouxe de Amsterdã, os primeiros imigrantes ao nosso país.    De acordo com o curador Edson Cardoso a conexão entre nossos países tem sido marcada pela amizade e cooperação em diversas áreas nos últimos 200 anos. E há de ser assim nos anos que estão por vir, acrescenta. Em agosto, de 9 a 30, a exposição ARGUS será apresentada em Berlin na Alemanha.


Em Fortaleza as obras de Gisele Faganello integram a mostra Mares, Rios e Cores, uma exposição itinerante, levada a andamento de 28 de junho até 23 de julho na ARTIVO Galeria. Esta coletânea de obras é o resultado do trabalho de artistas representados pela galerista Angela de Oliveira, da Art100 Gallery localizada em Porto Alegre, RS que assina também a curadoria.


O objetivo é partilhar as visões e interpretações das artes em Fortaleza, com foco na arte ambiental na conscientização dos perigos que espreitam o planeta e promover sua conservação, reforçar a comunicação e a participação cidadã na defesa da natureza e incentivar o compromisso político e pessoal contra o aquecimento global e seus efeitos.


No reforço desta exposição a curadora destaca o impacto da tragédia ambiental vivenciada no Rio Grande do Sul  e isso só reforçou seu compromisso com o projeto que tem como madrinha Rose Maiorana executiva do Grupo Liberal, empresária e artista plástica de Belém do Pará, uma fomentadora da arte no norte do país e que assina com o premiado fotógrafo Tarso Sarraf o projeto "Amazônia Liquida".


Gisele relata que após Fortaleza que dá início a série, a exposição segue para cidade de Olinda em Pernambuco, depois Búzios, no litoral do Rio de Janeiro além de outras cidades pelo Brasil e exterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Através da arte, podemos nos questionar sobre o impacto humano, diz Gisele Faganello

              Através da arte, podemos nos questionar sobre o impacto humano, diz Gisele Faganello A artista visual  Gisele Faganello  que e...