quarta-feira, 31 de janeiro de 2024

A arte que transforma vidas

     A arte que transforma vidas


O scrapbook fez empreendedora mudar o curso de sua história e hoje é referência em seu segmento





“Tudo que eu acredito, eu faço”. Essa é Cibele Degrazia, empreendedora por natureza, amante da vida e dona de uma resiliência ímpar. Gaúcha, formada em moda, uma jovem cheia de sonhos e planos, inclusive de morar no exterior, viu sua vida sendo modificada quando, aos 18 anos, ficou grávida. Os últimos meses de sua gravidez a forçaram a desacelerar de suas atividades, quando, por intermédio de sua tia, teve o primeiro contato com o scrapbook.


Após o nascimento do seu bebê, Cibele teve a oportunidade de somar o scrapbook a sua profissão, quando uma amiga a chamou para trabalhar em sua loja especializada, onde virou gerente em pouco tempo. Depois de 6 anos, a necessidade em dar mais atenção ao filho, ser mais presente em sua vida e não deixar momentos preciosos que a maternidade proporciona passar, a fez pedir demissão, sem outra perspectiva de emprego, resolveu escrever um outro capítulo da sua história. Visionária, começou a dar aulas de scrapbook em festas infantis nos fins de semana, onde ganhava mais do que com seu emprego formal e ainda tinha tempo para o seu filho, atingindo seu objetivo.


Após algum tempo, iniciou um relacionamento que se tornou abusivo, prejudicando sua vida e seus sonhos, levando-a a uma depressão. Onde a maioria vê revés, Cibele viu a oportunidade de crescer ainda mais, começou a estudar e se especializar ainda mais no scrapbook, atingindo o mercado exterior, pois a sua formação somada a qualidade e experiência fizeram com que seus scraps atingissem padrão de qualidade insuperável. Pioneira, foi a primeira “scrapper” a ter canal no YouTube, fazer lives, o que a tornou conhecida lá fora e consequentemente teve reconhecimento nacional, quando decidiu mudar, com seu filho, para São Paulo.


Com muito estudo e dedicação, ganhou prêmios internacionais e teve seus trabalhos expostos no Salão da América Latina – São Paulo e logo foi convidada para ministrar uma oficina no SESC (Serviço Social do Comércio), tendo as inscrições esgotadas em menos de 24 horas.


Em meio a muitos desafios e portas fechadas, uma oportunidade surgiu quando a dona de uma loja de scrapbook abriu as portas para que Cibele pudesse dar aulas e ensinar toda a sua técnica. Seu espírito empreendedor somado a expertise levaram-na a oportunidade de comprar a loja a qual ministrava suas aulas. Em 2015, no tradicional bairro do Tatuapé, na capital Paulista, nasceu a Cibideias, única loja de scrapbook do Brasil especializada em materiais importados.


“O scrapbook está em minha vida a 22 anos e a Cibideias é o projeto mais incrível que eu desenvolvi. São 8 anos de muitos desafios, de muitas alegrias, muitos sorrisos e amizades, o ambiente Cibideias é como se fossemos uma família. Faço o que amo, de todo o coração e a loja é a oportunidade de compartilhar todo esse amor”. E continua “Depois que chegamos em São Paulo, tudo aconteceu muito rápido, as oportunidades vieram e eu as agarrei. Pontua Cibele – CEO e fundadora da Cibideias.


Atualmente a Cibideias é a única loja do Brasil exclusiva de scrapbook e com produtos importados e Cibele tem forte engajamento nas redes sociais e ministra cursos presenciais e online. “No mundo digital faço lives, concursos e também cursos online, que estão disponíveis para compras em plataformas digitais.  Já no mundo físico, faço questão de atender minhas clientes pessoalmente, dando atenção individualizada para cada uma que vem a minha loja, recebo clientes que vem de todo o Brasil e, inclusive, do exterior para conhecer a loja e adquirir os produtos exclusivos que temos. Trocamos experiências, conhecimentos, tomamos café, almoçamos e mergulhamos no mundo mágico do scrapbook, faço questão de todas se sentirem muito bem dentro do ambiente Cibideias”. Conclui Cibele.


Conheça mais sobre a Cibideias, acesse: https://www.instagram.com/cibideias/

sábado, 27 de janeiro de 2024

Mulheres que Acontecem: oitava edição fica na história

     Mulheres que Acontecem: oitava edição fica na história


Evento foi realizado no auditório do Union Suítes, na Barra da Tijuca

A CEO Ju Paterson - Divulgação


A oitava edição do “Mulheres que Acontecem” ficou para a história! O evento, criado pelas CEOs Cris e Ju Paterson, do Universo Jump, mais uma vez surpreendeu quem estava presente no auditório do Union Suítes, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O principal propósito do encontro foi enaltecer o público feminino, ligado ao empreendedorismo, ao qual foca em crescimento, transição de carreiras e, também, em sua realização pessoal. A ocasião, ainda, foi composta por incríveis palestras, além da proveitosa troca de experiências entre as mais de 100 mulheres que compareceram ao local. 



Para as CEOs Paterson, satisfação e vitórias são palavras que as definem nesse momento tão aguardado e planejado pelas irmãs. “As expectativas, novamente, foram superadas! É muito bom receber essas mulheres que tanto tem histórias para contar e, as mesmas, que inspiram outras, diariamente! Nosso público amou e pediu bis. É por isso que em março, tem mais!”, conclui Ju Paterson. 



A CEO Cris Paterson - Divulgação

Mulheres que Acontecem - Divulgação



quarta-feira, 24 de janeiro de 2024

Ensino à distância coloca em risco formação de dentistas e atendimento a pacientes

    Ensino à distância coloca em risco formação de dentistas e atendimento a pacientes


Juliano do Vale, presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO)




A possível autorização de cursos de ensino à distância (EAD) para graduação em odontologia, que vem sendo discutida no país desde 2022, vai levar a retrocessos na saúde bucal no Brasil. É temerário que se autorize a formação de cirurgiões-dentistas sem que passem pela vivência clínica, fundamental para o exercício prático da profissão, sob pena de colocar-se em risco a saúde e o bem-estar dos pacientes.


Como órgão fiscalizador e responsável por ações de proteção da população na área, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) se posicionou publicamente contra a ideia, desde o primeiro momento em que foi lançada pelo Ministério da Educação (MEC). Desde então, juntaram-se à causa diversas outras entidades representativas da classe odontológica, também preocupadas com a má qualidade dos atendimentos a serem realizados por esses profissionais formados por meio de cursos à distância.


Habilidades práticas, como manipulação de instrumentos específicos, não podem ser dominadas sem a supervisão de professores. O aprendizado presencial possibilita que os alunos recebam orientações imediatas, contribuindo para o aprimoramento de suas habilidades.


Além disso, a comunicação eficaz das necessidades dos pacientes não podem ser plenamente desenvolvidas sem a exposição regular a situações clínicas reais. O ambiente presencial proporciona aos estudantes a oportunidade de lidar com uma variedade de casos, preparando-os para os desafios emocionais e práticos que encontrarão em suas carreiras.


O aprendizado colaborativo e a construção de redes profissionais são elementos cruciais que o ensino presencial promove. A troca de experiências entre estudantes, professores e profissionais do setor é fundamental para a formação de uma comunidade coesa e bem informada. Essa rede de contatos não apenas enriquece o aprendizado, mas também serve como suporte ao longo da carreira profissional.


Nos estudos para a autorização do EAD na Odontologia, o MEC realizou uma consulta pública, lançada em novembro do ano passado pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) e que contou com mais de 15 mil participações. O resultado levou o ministro Camilo Santana a suspender por 90 dias os processos de autorização de cursos à distância de diversas áreas do conhecimento, incluindo a odontologia.


Embora bem-vinda, a suspensão não significa o encerramento do assunto, pois ainda está pendente pelo MEC a conclusão da proposta de regulamentação de oferta de diversos cursos de graduação EAD. O CFO vai se manter vigilante enquanto essa possibilidade ainda for minimamente aventada. 


Por isso, o Conselho vai colocar o assunto em debate durante o 41º Congresso Internacional de Odontologia (CIOSP), que ocorrerá em São Paulo entre os dias 24 e 27 de janeiro. O evento é considerado o maior da América Latina em infraestrutura e maior do mundo em número de participantes, tendo chegado a 100 mil visitantes em 2023. Ele é, portanto, o ambiente ideal para que, mais uma vez, possamos reafirmar a posição contrária à implantação dos cursos de EAD.


Estamos certos de que não é esse tipo de alteração que vai melhorar o panorama de uma população em que 89% das pessoas não realiza a higienização bucal mínima, de duas vezes ao dia, de acordo com a última Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE).


As novas tecnologias podem ser exploradas para complementar a formação profissional, como com simulações e recursos online, mas não para substituir a experiência presencial. A inovação deve buscar fortalecer os fundamentos que garantem profissionais preparados para os desafios do nosso país, além de manter a odontologia brasileira como a maior e melhor do mundo.



A artista plástica Carla Carvalhosa apresenta a exposição 'Ser Mulher: um Percurso de Papéis', com curadoria de Marcia Costa, no Espaço Cultural Correios Niterói

     A artista plástica Carla Carvalhosa apresenta a exposição 'Ser Mulher: um Percurso de Papéis', com curadoria de Marcia Costa, no Espaço Cultural Correios Niterói


A mostra provoca no espectador a reflexão sobre vários aspectos do universo feminino, desde sua infância até a velhice, a partir de 27.01.





artista plástica Carla Carvalhosa apresenta a exposição 'Ser Mulher: um Percurso de Papéis', com curadoria de Marcia Costa, no Espaço Cultural Correios Niterói, a partir de 27.01, trazendo pinturas e esculturas em papietagem, distribuídas em quatro galerias, representando os diversos papéis desempenhados pelas mulheres e sua importância em promover um sentimento de pertencimento nas famílias e na sociedade em geral.




A mostra provoca no espectador a reflexão sobre vários aspectos do universo feminino, fazendo uma conexão simbólica entre as Deusas representantes dos quatro elementos: fogo, terra, água e ar, com o intuito de mostrar a força interna da mulher que reverbera para seu exterior. Propõe contemplação e reflexão sobre sua vida desde a infância até a velhice,  e incentiva uma reavaliação de valores, costumes, conhecimentos, práticas culturais, modos de vida e respeito por seus ritmos e ciclos femininos.




A exposição inclui vinte e uma obras sendo 12 esculturas em papietagem em tamanho real, essas instalações representam mulheres de diversas etnias. Além disso, são 11 telas painéis que transitam entre vários estilos e técnicas. A síntese da exposição está representada pela Árvore da Vida com aproximadamente 2,50 metros de altura, este símbolo aparece em diferentes mitologias. Diz-se que quem come os frutos desta árvore, que cresceu no Paraíso, ganha a imortalidade. A árvore representa a Grande Mãe e contém profundos significados simbólicos. Além disso, um aspecto a ser destacado é seu compromisso com a sustentabilidade, pois parte da exposição foi criada usando materiais que, de outra forma, se tornariam resíduos -  papéis rasgados e colados e reaproveitamento de materiais de embalagens como base para suas esculturas.




Sobre Carla Carvalhosa


Carla Carvalhosa nasceu no Rio de Janeiro em 1967 e desde muito jovem descobriu sua paixão pelo desenho. Sua trajetória é marcada por várias premiações e participação em diversas exposições. Há 30 anos ministra cursos onde vem formando vários artistas e desenvolvendo trabalhos terapêuticos através da arte. Sua maior característica sem dúvida é a versatilidade,onde usufrui total liberdade em técnicas e estilos, sem com isso, perder sua identidade artística. Apropria-se de diversos materiais de maneira espontânea e autodidata expressando suas emoções e faz isso com maestria.


Em janeiro de 2020 apresentou a exposição individual com o tema LIBERDADE no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro. E em setembro/2020 no Espaço Cultural Correios Niterói. Carla Carvalhosa propôs, através de suas obras, uma reflexão sobre o que é viver em uma época tão conturbada, tempos de pandemia, quando o significado de liberdade estava sendo tão questionado, sendo assim, ela também se desafia a criar em novas e múltiplas linguagens plásticas buscando a própria liberdade de criar.


Abaixo link da exposição virtual 'Liberdade' : http://Avacreative.com.br/liberdade


Educação

1990 - 1995 – Curso de pintura em tela SBBA lecionado por Said Ahmady e Nilton Bravo.


Obras Dedicadas

1999 – 3 obras na série artistas do RJ na série Telemar

Principais Premiações

1995 – CAP Medalha de Ouro

1995 – CSSA – Prêmio Master/Viagem Nacional

1995 –Consulado Geral do Japão – Medalha de Ouro

1996 – Consulado da Espanha – Menção Honrosa

1996 – PMERJ – Medalha de Prata/Prêmio de Aquisição

1996 – XIV Salão de Outono da Igreja Messiânica – Medalha de Prata

1996 – ESMB – Menção Honrosa

1996 – 1° Exposição do Brasil/Oriente – Melhor Obra/Viagem Internacional

1996 – CSSA – Convidado Especial Prêmio Hors Concours

1997 – Gincana Retiro das Artes – Medalha de Bronze

1997 – 1° Salão Aeroporto Galeão RJ – Melhor Obra/Viagem Internacional

1999 – CML – 4° lugar/Prêmio de Aquisição

2000 – CML – 5° lugar/Prêmio de Aquisição

2000 – 4° Distr. Militar – Medalha de Prata

2000 – DCI – Medalha de Bronze


Participação como Júri/Organização:

1997 – CSSA – Comissão Julgadora

1998 – CSSE – Comissão Julgadora

1999 – CSSA – Comissão Julgadora

2000 – CSSE – Comissão Julgadora

2004 – CSSE – Comissão Julgadora

2005 – Sede Campestre ME – Comissão Julgadora

2005 – Atelier 612 – Comissão Julgadora


Exposições Coletivas

1993 – Caixa Econômica Federal

1994 – Condomínio Vale das Orquídeas

1994 – Condomínio Nova Barra

1995 – Banco do Brasil – Ag. Penha - RJ

1996 – Exposição Retratos CEFAP

2000 – Rio Shopping

2000 – Center Point Shopping – Exposição Permanente

2001 – Expositora no 5° Concurso CML

2002 – PAAF – 1° Vernissage “Ars Gratia Artis”

2004 – Expositora no 5° Concurso CML

2004 – Espaço Cultural Via Parque Shopping


Exposições Individuais

2009 – Center Point Shopping – RJ

2020 – Exposição na Feira Cultural Cacau Show Mega Store do Barra Shopping – RJ

2021 – Exposição Liberdade Centro Cultural Correios – Rio de Janeiro

2021 – Exposição Liberdade - Espaço Cultural Correios Niterói – Rio de Janeiro

2022 – Exposição Mulher o que te sustenta? Espaço Cultural Correios Niterói – RJ


Sobre Márcia Costa


Curadoria e Coordenação da exposição 'Fios da Vida'.Curso EAV – Exposições de Artes Visuais – da Ideia à Realidade – Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Pós-Graduação em Psicologia Junguiana – Universidade Estácio de Sá. Especialização em Arteterapia – Clínica POMAR/SPEI.  Formação em Arteterapia - Clínica POMAR. Graduada em Filosofia


EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL


Curadoria - Exposição “Liberdade” de Carla Carvalhosa no Centro Cultural

Correios do Rio de Janeiro – Janeiro/2021

Curadoria - Exposição “Liberdade” de Carla Carvalhosa - Espaço Cultural

Correios Niterói – Outubro/2021.

Curadoria - Mostra MULHER, O que te Sustenta? em exibição de março a julho/2022 no Espaço Cultural Correios Niterói.

Curadoria Exposição – Mostra Cultural – Shopping Center Point – Vila Valqueire – julho/2022.

Docente no Curso Formação e Pós- Graduação em Arteterapia da Clínica Pomar. Docente da Disciplina de Oficinas Criativas da Pós-Graduação em Envelhecimento, Subjetividade e Arte. Professora de Pintura Decorativa


http://avacreative.com.br/liberdade - Link visita virtual da Exposição Liberdade, realizada no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro


Em maio de 2022, A mostra, “MULHER, o que te sustenta?” sob o olhar e a delicadeza das mãos de Carla Carvalhosa e curadoria de Márcia Costa, propôs homenagear a mulher brasileira na representação de sua afetividade, de sua força, do seu poder, de sua essência, inspiradas no simbolismo das Deusas de diversas culturas, importantes representações simbólicas para a evolução da sociedade.


Texto curatorial


(...) A exposição é uma expressão de resistência contra as limitações históricas impostas às mulheres. Inspirada pelo questionamento de Simone de Beauvoir em "O Segundo Sexo", Carvalhosa desafia a noção de que a mulher é o "outro" em relação ao homem. Suas obras são um convite para redefinir as narrativas preestabelecidas, empoderando as mulheres a se tornarem autoras de suas próprias histórias.


(...) A exposição destaca o papel transformador da arte na vida da artista. Desde sua incursão além da pintura convencional na exposição "Liberdade" até a reflexão profunda na mostra "Mulher: O que te sustenta?", Carla Carvalhosa demonstra como a arte pode desencadear processos de desconstrução e renovação, oferecendo uma perspectiva única sobre os desafios enfrentados pelas mulheres.


"SER MULHER: Um Percurso de Papéis" é mais do que uma exposição; é um convite à reflexão e à celebração da diversidade feminina. Carla Carvalhosa nos lembra, através de sua arte vibrante, que as mulheres são arquitetas de suas próprias identidades, capazes de transcender papéis e inspirar transformações profundas na sociedade. Ao percorrer estas galerias, convidamos vocês a se conectarem com a rica diversidade de experiências femininas apresentadas por essa talentosa artista.


Márcia Costa - Curadoria




SERVIÇO

Exposição: "Ser Mulher: um Percurso de Papéis"

Artista: Carla Carvalhosa

Curadoria: Marcia Costa

Instagram: @carlacarvalhosa   @costaregmarcia

Assessoria de Imprensa: Paula Ramagem

Abertura: 27 de janeiro de 2024 às 14h

Visitação: 27 de janeiro a 09 de março de 2024

Dias e horários: de segunda a sexta, das 11h às 18h e sábado das 13h às 18h

Local: Espaço Cultural Correios Niterói

Endereço: Av. Visconde do Rio Branco, 481 - Centro - Niterói - RJ

Entrada franca

Censura Livre


Assessoria de Imprensa

Paula Ramagem

terça-feira, 23 de janeiro de 2024

Conheça o Brás e celebre o aniversário de SP com dicas deste tradicional bairro

   Conheça o Brás e celebre o aniversário de SP com dicas deste tradicional bairro


Criadores do Kwai dão dicas sobre o bairro paulistano que tem sido muito falado nas redes sociais - do comércio à gastronomia, há muita coisa bacana no Brás




São Paulo, janeiro de 2024 – A cidade de São Paulo completa mais um ano no dia 25 de janeiro – são 470 anos dessa metrópole que é feita não somente de trânsito e garoa, mas também de muita cultura e diversidade. Que tal celebrar a cidade no seu dia conhecendo um ponto turístico? Ou melhor: que tal conhecer um local inusitado que respira cultura, comércio e história? Pois é no coração de Sampa que se encontra um dos bairros mais famosos entre os paulistas e os turistas: o Brás, que vale a visita… Quer apostar?


Localizado no Centro Histórico, a região é conhecida pelos diversos comércios de roupas espalhados pela região que oferecem preços ótimos –não à toa, varejistas de todo o país costumam vender e comprar roupas masculinas e femininas por lá. Em alta nas redes sociais e no Kwai, app de criação e compartilhamento de vídeos curtos, selecionamos perfis para quem quer comemorar o aniver de Sampa da maneira mais paulistana: fazendo compras.


Um dos passeios mais famosos é conhecer a famosa Feirinha da Madrugada, localizada na Rua Monsenhor Andrade, endereço com mais de 5 mil boxes e lojas recheadas de todo o tipo de modelos e acessórios por preços muito baixos. O perfil da Diva do Brás está sempre dando um rolê por lá e criando conteúdos com as melhores lojas e promoções, como neste vídeo em que ela mostra algumas opções de peças de todos os tamanhos e cores que custam a partir de R$ 25.


Mas os preços baixos não estão somente na madrugada: a Pâmela Costa mostra que dá para aproveitar o bairro a qualquer hora do dia e aproveitar muitas pechinchas. De vestido que custa R$ 30 a biquíni a partir de R$ 20, sejam em bancas na rua ou em shoppings da região, não faltam dicas para quem quer montar um look novo sem desembolsar uma fortuna.


Por falar em diversidade, a região possui lojas para todos os gostos. Você já ouviu falar em moda evangélica? No vídeo do perfil J.S no Brás, que reúne dicas de moda e promoções, é possível dar uma olhada nos diversos modelos de vestidos e conjuntos baratinhos que seguem o estilo, seja para ir ao culto ou para quem quer fazer o estilo mais recatado no dia a dia.


Nem tudo é sobre roupa, no bairro também é possível encontrar uma das mais famosas lojas de variedades da internet, com produtos vindos da China. De eletrônicos até copos térmicos, quem vai à Busca Busca encontra tudo o que precisa por um preço bem acessível. O Andy Rodrigues fez um vídeo mostrando um pouco da diversidade e dos preços baixos da loja, mas se quiser conferir um pouco mais, é bom ficar de olho no perfil do Chefe do Benefício, o dono da Busca Busca sempre anuncia as promoções e novidades em seu perfil no app – ele garante que a loja vende mais barato do que outros sites da China. Não à toa, a Busca Busca costuma ter fila para entrar e há dias em que o dono precisa distribuir senha. 


Como ninguém é de ferro, após fazer compras, que tal recuperar as energias com um belo almoço ou jantar tipicamente paulistano? Para celebrar as raízes italianas do bairro, a dica é saborear uma boa massa ou um delicioso parmegiana numa cantina bem tradicional. Uma delas é a Gigio, localizada na Rua do Gasômetro, na qual a criadora de conteúdo Juliana Araújo se impressiona com a qualidade da comida servida no restaurante.


O Brás, bairro que tem a cara de São Paulo, está repleto de experiências: não deixe de conhecer os achados dessa região que é parte da maior metrópole do Brasil, São Paulo.

 

Sobre o Kwai


Um dos aplicativos gratuitos mais populares do Brasil, o Kwai permite que os usuários criem seu próprio conteúdo e compartilhem vídeos online de forma fácil, inclusiva e acessível. Com a missão de fazer as pessoas brilharem, o Kwai acredita que todos os pequenos momentos da vida merecem ser compartilhados. O aplicativo está disponível para os sistemas iOS e Android, na App Store e no Google Play. Saiba mais em: kwai.com.

Exposição do 15º Salão dos Artistas Sem Galeria fica em cartaz até o dia 24/2 na paulistana Zipper Galeria

    Exposição do 15º Salão dos Artistas Sem Galeria fica em cartaz até o dia 24/2 na paulistana Zipper Galeria



Ramonn Vieitez - Revoada, óleo, esmalte e pasta metálica sobre tela , 150 x 120 cm, 2023


A exposição da 15ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria, promovido pelo portal Mapa das Artes (www.mapadasartes.com.br e @mapadasartesoficial), fica em cartaz até o dia 24/2 na Zipper Galeria (www.zippergaleria.com.br), nos Jardins, em São Paulo (SP). Inaugurada no dia 18/1, a mostra traz obras dos dez artistas selecionados no evento, que contou com 255 inscrições (9% menos que em 2023, quando contou com 281 inscrições). A entrada é gratuita.


Renan Carvalho - Sem título, acrílica sobre tela, 98 x 75 cm, 2022

Foram selecionados Chiara Sengberg (SP), Clara A (SP), Fil Souza Vieira (RJ), Francisco Horta Maranhão (SP), Jamile Sayão (MG/SP), Lucas Ribeiro (RJ), Ramonn Vieitez (PE), Renan Henrique Carvalho (RJ), Thix (RS/RJ) e Vicente Brasileiro (AL/SP). O júri foi formado por Alice Granada (curadora independente), Hiro Kai (produtor independente) e Renato De Cara (curador independente e diretor do Paço das Artes-SP).


Lucas Ribeiro - Arcada, videoarte, duração do vídeo: 1’26”, 2023


O Salão dos Artistas Sem Galeria tem como objetivo avaliar, exibir, documentar e divulgar a produção de artistas plásticos que não tenham contratos verbais ou formais (representação) com qualquer galeria de arte na cidade de São Paulo. O Salão tradicionalmente abre o calendário de artes em São Paulo e é uma porta de entrada para os artistas selecionados no circuito das artes.


Thix - Um sofá perto da Janela, óleo sobre linho, 50 x 40 cm, 2023


O Salão dos Artistas Sem Galeria tem concepção e organização de Celso Fioravante, assistência de Lucas Malkut e projeto gráfico de Cláudia Gil (Estúdio Ponto).


Vicente Brasileiro - Pinheiro, díptico, 26,1 x 28,3 cm cada, 2019


Histórico do Salão dos Artistas Sem Galeria


A 1ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria (2010) selecionou os artistas Affonso Abrahão (SP), Amanda Mei (SP), Bartolomeo Gelpi (SP), Bettina Vaz Guimarães (SP), Christina Meirelles (SP), João Maciel (MG), Luiz Martins (SP), Rodrigo Mogiz (MG), Pedro Wirz (brasileiro radicado na Suíça) e Sandra Lopes (SP). O júri de seleção foi composto pelo curador Cauê Alves e pelos galeristas Mônica Filgueiras e Daniel Roesler. As mostras aconteceram na Casa da Xiclet e na Matilha Cultural. Os premiados desta edição foram Amanda Mei, Bartolomeo Gelpi e Bettina Vaz Guimarães.


A 2ª edição do Salão (2011) selecionou os artistas Maria Luisa Editore, Anne Cartault d´Olive, Adriano Amaral, Camila Alvite e Tatewaki Nio (São Paulo/SP); Sidney Amaral (Mairiporã/SP); Roma Drumond (Rio de Janeiro/RJ); Osvaldo Carvalho (Niterói/RJ); Luiz Rodolfo Annes (Curitiba/PR); e Tatiana Cavinato (Belo Horizonte/MG). O júri de seleção foi formado por três galeristas de São Paulo: Fábio Cimino (Zipper), Juliana Freire (Emma Thomas) e Wagner Lungov (Central Galeria de Arte Contemporânea). A premiada desta edição foi Camila Alvite.


Chiara Sengberg - Sem título (da série Construção), colagem sobre blocos de madeira, 34 x 43 cm, 2023


A 3ª edição do Salão (2012) selecionou os artistas Cris Faria (baiano radicado em Zurique, Suíça), Danielle Carcav (RJ), Diego de los Campos (SC), Edney Antunes (GO), Julio Meiron (SP), Maria Isabel Palmeiro (RJ), Pedro di Pietro (SP), Roberta Segura (SP), Rodrigo Sassi (SP) e Victor Lorenzetto Monteiro (ES). Os artistas foram selecionados pelos galeristas Jaqueline Martins, Henrique Miziara (Pilar) e Marcelo Secaf (Logo). O premiado desta edição foi Rodrigo Sassi.


A 4ª edição do Salão (2013) selecionou os artistas Fábio Leão (AL/SP), Layla Motta (SP), Paula Scavazzini (SP), Viviane Teixeira (RJ), Elizabeth Dorazio (MG/SP), Roberto Muller (RJ), Betelhem Makonnen (Etiópia/RJ), Fabíola Chiminazzo (PR/SP), Michelly Sugui (ES) e AoLeo (RJ). O júri de seleção foi formado pelo galerista Ricardo Trevisan (Casa Triângulo), pelo curador e professor da FAAP Fernando Oliva e pelo curador do MAM de Goiás Gilmar Camilo (GO). Três artistas empataram e foram premiados: Fábio Leão, Fabíola Chiminazzo e Layla Motta.


Clara A - Corações 1, óleo sobre tela de algodão, 70 x 50 cm, 2023


A 5ª edição do Salão (2014) selecionou os artistas Clara Benfatti (França/SP), Flora Rebollo (SP), Zed Nesti (RJ/SP), Guilherme Callegari (SP), Sheila Ortega (SP), Marcos Akasaki (SP), Heleno Bernardi (MG/RJ), Daniel Duda (PR), Regina Cabral de Mello (EUA/RJ) e Tchelo (SP). O júri de seleção foi formado pelos curadores João Spinelli e Paula Braga e pelo galerista Elísio Yamada (Galeria Pilar) O premiado foi Daniel Duda.


A 6ª edição do Salão (2015) selecionou os artistas Andrey Zignnatto (SP), Charly Techio (SC/PR), Cida Junqueira (SP), Evandro Soares (BA/GO), Fernanda Valadares (SP/RS), Lucas Dupin (MG), Marcos Fioravante (PR/RS), Myriam Zini (Marrocos/SP), Piti Tomé (RJ) e Thais Graciotti (ES/SP). O júri foi formado pelos curadores Adriano Casanova, Enock Sacramento e Mário Gioia. O premiado foi Andrey Zignnatto.


Fil Souza Vieira - Tóigode – Ato I (um), tecido, fitas, borrachas diversas e ar comprimido, 60 x 40 x 40 cm, 2022


A 7ª edição do Salão (2016) selecionou os artistas Bruno Bernardi (GO/SP; natural de Goiânia, mas radicado em São Paulo), Daniel Antônio (MG/SP), Daniel Jablonski (RJ), Felipe Seixas (SP), Giulia Bianchi (SP), Marcelo Oliveira (RJ), Mariana Teixeira (SP), Renan Marcondes (SP), Renato Castanhari (SP) e Sergio Pinzón (Colômbia/SP). O júri foi formado pelos curadores Jacopo Crivelli Visconti, Marta Ramos-Yzquierdo e Douglas de Freitas. O premiado foi Daniel Jablonski.


A 8a edição do Salão (2017) selecionou os artistas Lula Ricardi (SP), Maura Grimaldi (SP), Jefferson Lourenço (MG), Marcelo Barros (SP), Gunga Guerra (Moçambique/RJ), Marcelo Pacheco (SP), Luciana Kater (SP), Cesare Pergola (Itália/SP), Juliano Moraes (GO) e Cristiani Papini (MG). O júri foi formado por Adriana Duarte (galerista capixaba da paulistana Casa da Xiclet), Paula Alzugaray (jornalista e editora da revista “Select”) e Rodrigo Editore (galerista e sócio da também paulistana galeria Casa Triângulo). O premiado foi o mineiro Jefferson Lourenço.


Francisco Maranhão - Traição, xilogravura sobre papel wenzhou, 80 x 220 cm, 2021


A 9ª edição do Salão (2018) selecionou os artistas Angela Od (RJ), Caio Pacela (SP/RJ), Renata Pelegrini (SP), Mercedes Lachmann (RJ), João GG (RS/SP), João Galera (PR/SP), David Almeida (DF/SP), Élcio Miazaki (SP), Sonia Dias (SP) e Yoko Nishio (RJ). O júri foi formado por Fernanda Resstom (Galeria Central), Nathalia Lavigne (curadora independente) e Renata Castro e Silva (Galeria Carbono). A artista premiada foi a carioca Angela Od.


A 10a edição do Salão (2019) selecionou os artistas Adriana Amaral (SP), Aline Moreno (SP), André Souza (BA), Carol Peso (MG), Coletivo Lâmina (Gabriela De Laurentiis e João Mascaro; SP), Edu Silva (SP), Fernanda Zgouridi (PR/SP), Iago Gouvêa (MG), Stella Margarita (Uruguai/RJ) e Xikão Xikão (MG). O júri foi formado por Andrés Inocente Martín Hernández (curador e diretor do espaço Subsolo - Laboratório de Arte, em Campinas), José Armando Pereira da Silva (jornalista, escritor, pesquisador e membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte) e Luciana Nemes (educadora, produtora e coordenadora do Museu da Energia de São Paulo). Foram premiados os artistas Stella Margarita (1º lugar), Edu Silva e André Souza, que empataram e dividiram o 2º e o 3º prêmio.


A 11a edição do Salão (2020) selecionou os artistas Adriano Escanhuela (SP), Aline Chaves (RS); Avilmar Maia (MG); Diego Castro (SP); Fernando Soares (SP); Gustavo Lourenção (SP); Myriam Glatt (RJ); Nilda Neves (BA/SP); Rafael Pajé (SP) e Rosa Hollmann (SP/RJ). O júri foi formado por Jairo Goldenberg (galerista do J. B. Goldenberg Escritório de Arte); Marlise Corsato (diretora da Galeria Kogan Amaro) e Renato De Cara (curador independente). Foram premiados os artistas Fernando Soares (1º lugar), Rosa Hollmann (2º lugar) e Myriam Glatt (3º lugar).


A 12ª edição do Salão (2021) selecionou Ana Andreiolo (RJ), André Bergamin (RS), Evandro Angerami (SP), Laura Villarosa (Itália/RJ), Leonardo Luz (RJ), Marc do Nascimento (SP), Mateus Moreira (MG), Paloma Mecozzi (SP), Rafaela Foz (SP) e Thiago Fonseca (RJ/MA). O júri foi formado por Fernando Oliva (curador do MASP), Julie Dumont (curadora independente e criadora do projeto The Bridge Project) e Jurandy Valença (jornalista, curador independente, produtor cultural e poeta). Foram premiados os artistas Thiago Fonseca (RJ/MA; 1º lugar), Mateus Moreira (MG; 2º lugar) e Rafaela Foz (SP; 3º lugar).


A 13ª edição do Salão (2022) selecionou os artistas Bruno Gularte Barreto (RS), Cláudia Lyrio (RJ), Cynthia Loeb (SP), Diogo Santos (RJ), Igor Nunes (RJ), Kika Diniz (RJ), Liz Lopes (RJ), Luiza Kons (PR), Paulo Jorge Gonçalves (RJ) e Ronaldo Marques (SP). O júri foi formado pelos curadores independentes André Niemeyer, Julie Dumont e Paulo Gallina e pelo jornalista Washington Neves. Foram premiados os artistas Paulo Jorge Gonçalves (1º lugar), Luiza Kons (2º lugar) e Diogo Santos (3º lugar).


A 14ª edição do Salão (2023) selecionou os artistas Bruna Gidi (BA), Bruno Pinheiro (RJ), Consuelo Veszaro (SP), Felipe Diniz Sanguin (SP), Larissa Fonseca (MG/RJ), Mario Lins (PE/SP), Oksana Rudko (Rússia/SP), Patricia Chueke (RJ), Reitchel Komch (RJ) e Vitor Matsumoto (SP). O júri foi formado por Elias Muradi (artista plástico e gestor da Gare, escola e galeria de arte), Ana Carolina Ralston (jornalista e curadora independente) e Alice Granada (curadora independente). Foram premiados Bruna Gidi (BA; 1º lugar), Felipe Diniz Sanguin (SP; 2º lugar) e Larissa Fonseca (MG/RJ; 3º lugar).


Jamile Sayão - Projeto para a invenção de um céu, ou apenas um jogo dos sete erros (série Banalíssimas), acrílica, lápis e marcadores sobre tela, 80 x 60 cm, 2023


Mapa das Artes


Criado em 2004 pelo jornalista Celso Fioravante, o Mapa das Artes (www.mapadasartes.com.br) é o portal de artes visuais mais completo do Brasil, com programação e serviço de museus de todos os Estados do país. O site dispõe de seções diversas, como a dedicada aos salões de arte, com datas e editais; a seção Curtas, com matérias e serviço sobre acontecimentos, eventos e assuntos de interesse do público de artes visuais; além das colunas Supernova, com notas quentes; e seções dedicadas a eventos, mercado de arte, prêmios, personalidades, política cultural, arquitetura, web, patrimônio, polêmicas, críticas e notícias diversas de artes plásticas editadas nos principais veículos jornalísticos do mundo. Sua cobertura abrangente faz do Mapa das Artes uma peça fundamental para o desenvolvimento do circuito brasileiro de arte.

 

Serviço

15º Salão dos Artistas Sem Galeria

Em cartaz até o dia 24/2. A entrada é gratuita. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 17h.

Local: Zipper Galeria.

Endereço: R. Estados Unidos, 1.494, Jardins. Tel. (11) 4306-4306

www.zippergaleria.com.br

@zippergaleria

 

Redes Sociais:

Salão dos Sem Galeria - @salaodossemgaleria

Zipper Galeria: @zippergaleria

Mapa das Artes: @mapadasartesoficial

Alice Granada: @artes.alheias e @alice.granada

Hiro Kai - @br_hiro2020

Renato De Cara: @renatodecara

Lucas Ribeiro: @lucasribeiro.art

Ramon Vieitez: @ramonvieitez

Renan Carvalho: @__renanhcarvalho

Thix - @thix

Vicente Brasileiro - @brasileirovicente

Chiara Sengberg - @chiara.sengberg

Clara A - @a_clara_a

Fil Souza Vieira - @fil.that

Francisco Maranhão - @francisco_horta_maranhao

Jamile Sayão - @jamilesayao

"Crie Palestras Inesquecíveis"

   " Crie Palestras Inesquecíveis" Lançamento do novo livro de Joni Galvão e Dennis Penna   Dennis Penna e Joni Galvão revelam os ...